O Dia do Meio Ambiente foi instituído em 1972, estabelecido pela ONU no mesmo dia da Conferência de Estocolmo, importante evento sobre o Meio Ambiente, realizado em 5 de junho, que teve como objetivo chamar a atenção do mundo todo para o debate sobre questões ambientais.

Desde então, muita coisa mudou. Os problemas não diminuíram e alguns novos apareceram. A pandemia do COVID-19, maior pandemia do século, causou desastres e dificuldades inimagináveis e parou quase a vida de todas as pessoas. Com a população em casa, o meio ambiente conseguiu respirar, mas todos sabem que é por pouco tempo. Além disso, ela mostrou que os avanços na luta contra a pobreza e a busca pela saúde e pelo bem-estar podem ser prejudicados caso a comunidade global não enfrente as ameaças ambientais que comprometem os sistemas que permitem que a humanidade e o planeta sobrevivam e prosperem.

A intenção do Dia do Meio Ambiente é, anos após ano, conscientizar o maior número de pessoas para que ações sejam tomadas todos os dias. É um processo lento e difícil, mas quando todos focam um mesmo caminho, o objetivo é alcançado com mais facilidade.

Para ajudar na compreensão das necessidade do Meio Ambiente e em como vivenciar esse dia, separamos alguns filmes, livros e atitudes que podem ajudar a mudar o destino do planeta.

Em tempos de quarentena e isolamento social, apreciar um bom livro fica mais fácil. Então por que não aproveitar o mês de junho para ler mais sobre questões ambientais? Aqui, trazemos alguns títulos que podem ajudar.

50 grandes ambientalistas – de Buda a Chico Mendes, de Joy Palmer

O livro traz à tona a relação entre a evolução humana e a degradação do meio ambiente. Apresenta, em textos claros e objetivos, idéias e doutrinas de cinquenta personalidades estimulantes – de todas as partes do mundo, da Antiguidade até nossos dias – que tiveram indiscutível influência sobre a ação e o pensamento ambientalistas.

Filosofia Verde, de Roger Scruton

O autor busca desenvolver um olhar alternativo para os problemas ambientais, partindo de uma análise filosófica. Ele propõe uma perspectiva dos problemas de modo que sejam vistos como nossos e que possamos resolvê-los, valendo-nos da moral.

O Princípio Responsabilidade, de Hans Jonas

O livro analisa as éticas clássicas e modernas e procura demonstrar-se como estas não conseguem lidar com a possibilidade ou com o futuro, mas apenas com a proximidade e com o presente.

Muito além da economia verde, de Ricardo Abramovay

Com os recursos naturais cada vez mais escassos, o consumo aumentando e a riqueza concentrada, o livro fala de como é questão de tempo para toda a economia e o meio ambiente entrarem em colapso.

Monoculturas da mente, de Vandana Shiva

De forma lúcida e acessível, a autora examina as ameaças correntes à biodiversidade do planeta e às conseqüências ambientais e humanas de sua erosão e substituição pela produção monocultural.

Atlas: Geografia do Uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União Europeia, de Larissa Ribeiro

Este Atlas é resultado de um trabalho intenso que vem sendo desenvolvido nos últimos três anos. Toda a parte técnica de cartografia e de design foi realizada solidariamente. A ideia é que as informações aqui contidas possam circular e possam ser um importante instrumento de conscientização. O livro está disponível para download gratuito.

A ferro e fogo, de Warren Dean

Ótimo livro sobre a história ambiental do Brasil, ainda que escrito por um norte-americano.

Uma trajetória ambientalista, de Paulo Nogueira-Neto

São os diários do autor, biólogo paulista que criou em 1973 a Secretaria Especial de Meio Ambiente (que viria a se tornar o Ministério do Meio Ambiente). Ele relata mais de 40 anos de carreira para conservar o patrimônio natural do país. É uma leitura para entender que a preocupação com o meio ambiente no país, longe de ser uma modinha importada ou uma imposição externa, data de muito tempo atrás e é informada pela melhor ciência feita no Brasil, por brasileiros.

Silent spring, de Rachel Carson

Publicado em 1962, o livro da química americana inaugurou o ambientalismo moderno ao demonstrar dados coletados em campo e documentos governamentais, a ligação entre pesticidas e danos à saúde e ao ambiente.

O menino do dedo verde, de Maurice Druon

O menino do dedo verde conta a história de Tistu, um garoto de oito anos cujos pais decidem que a melhor forma de aprender sobre o mundo é cuidando do jardim, onde ele descobre que seus dedos têm o poder de fazer crescer e florescer plantas.

Para quem prefere um bom filme, temos também algumas dicas valiosas sobre o tema principal dessa semana. É realmente importante refletirmos a respeito de tantas questões que rondam o assunto, que, em maior ou menor grau, é essencial para todos nós.

Wall-e

Após entulhar a Terra de lixo e poluir a atmosfera com gases tóxicos, a humanidade deixou o planeta e passou a viver em uma gigantesca nave. O plano era que o retiro durasse alguns poucos anos, com robôs sendo deixados para limpar o planeta. Wall-E é o último destes robôs, que se mantém em funcionamento graças ao auto-conserto de suas peças. Sua vida consiste em compactar o lixo existente no planeta, que forma torres maiores que arranha-céus, e colecionar objetos curiosos que encontra ao realizar seu trabalho.

Xingu

Os irmãos Orlando, Cláudio e Leonardo Villas-Bôas decidem viver uma grande aventura, alistam-se na expedição Roncador-Xingu e partem numa missão desbravadora pelo Brasil Central. Logo os irmãos se tornam chefes da expedição e se envolvem na defesa dos índios e de sua cultura. Numa viagem sem paralelo na história, os irmãos Villas-Boas conseguem fundar o Parque Nacional do Xingu, um parque ecológico e reserva indígena que, na época, era o maior do mundo, do tamanho de um país como a Bélgica.

Avatar

Jake Sully ficou paraplégico após um combate na Terra. Ele é selecionado para participar do programa Avatar em substituição ao seu irmão gêmeo, falecido. Jake viaja a Pandora, uma lua extraterrestre, onde encontra diversas e estranhas formas de vida. O local é também o lar dos Na’Vi, seres humanóides que, apesar de primitivos, possuem maior capacidade física que os humanos. Os Na’Vi têm três metros de altura, pele azulada e vivem em paz com a natureza de Pandora.

Saneamento Básico

Os moradores de Linha Cristal, uma pequena vila de descendentes de colonos italianos localizada na serra gaúcha, reúnem-se para tomar providências a respeito da construção de uma fossa para o tratamento do esgoto. Entretanto, a prefeitura dispõe de quase R$ 10 mil para a produção de um vídeo. Este dinheiro foi dado pelo governo federal e, se não for usado, será devolvido em breve. Surge então a ideia de usar a quantia para realizar a obra e rodar um vídeo sobre a própria obra, que teria o apoio da prefeitura. Desta forma os moradores se reúnem para elaborar um filme, que seria estrelado por um monstro que vive nas obras de construção de uma fossa.

A Última Hora

Causadas pela própria humanidade, enchentes, furacões e uma série de tragédias assolam o planeta cotidianamente. O documentário mostra como a Terra chegou nesse ponto: de que forma o ecossistema tem sido destruído e, principalmente, o que é possível fazer para reverter este quadro. Entrevistas com mais de 50 renomados cientistas, pensadores e líderes ajudam a esclarecer essas importantes questões e a indicar as alternativas ainda possíveis.

A Lei da Água – Novo Código Florestal

O filme esclarece as mudanças promovidas pelo novo Código Florestal e a polêmica sobre a sua elaboração, mostrando os impactos da lei sobre a floresta e, por sua vez, sobre a água, o ar, o solo, a produção de alimentos e a vida de cada cidadão.

A Era da Estupidez

O ano é 2055. Um homem vive em um mundo devastado e começa a se questionar sobre as ações do passado sobre o planeta. Quando olha para imagens antigas se pergunta: por que não paramos de afetar as mudanças climáticas quando tivemos chance?

Seremos História?

No documentário, Leonardo DiCaprio nos leva à linha de frente da batalha contra as mudanças climáticas, conversando com algumas das pessoas mais proeminentes na causa como Barack Obama, Bill Clinton, John Kerry e o Papa Francisco.

Cowspiracy – O Segredo da Sustentabilidade

Cowspiracy conta como a agropecuária intensiva está dizimando os recursos naturais do planeta e por que essa crise tem sido ignorada por grandes grupos ambientalistas.

Uma Verdade Inconveniente

O ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore apresenta uma análise da questão do aquecimento global, mostrando os mitos e equívocos existentes em torno do tema e também possíveis saídas para que o planeta não passe por uma catástrofe climática nas próximas décadas.

Depois de tantas referências incríveis, está na hora de colocar em prática atitudes conscientes simples e possível para todos. A intenção é que, ao experimentar um novo hábito por um dia, isso se torne cotidiano, incorporando tais ações ã rotina diária. Assim, cada um pode contribuir para o equilíbrio entre o desenvolvimento econômico e o social para preservar e recuperar os recursos naturais de nosso Planeta.

1. Feche a torneira ao escovar os dentes
Quem deixa a torneira aberta durante a escovação durante 1 minuto desperdiça 14 litros de água!

2. Reduza o tempo de banho no chuveiro elétrico
O gasto de energia elétrica de um chuveiro ligado é equivalente ao de 45 TVs ao mesmo tempo. Que tal diminuir o seu tempo de banho?

3. Faça uma receita que aproveite cascas e talos de frutas e vegetais
Essas partes, que geralmente são desperdiçadas e geram mais resíduos, podem compor pratos nutritivos e deliciosos!

4. Faça trechos curtos a pé ou de bicicleta. E organize esquemas de carona!
Claro, para quando o isolamento social acabar.

5. Promova uma feira de trocas de roupa com os amigos
Na hora de comprar uma roupa, reflita: você precisa mesmo de uma nova? Talvez seja mais interessante fazer trocas, com os amigos e familiares, de peças que não estão mais em uso. Pode ser online enquanto ainda estamos na quarentena.

6. Faça a destinação correta dos celulares e eletrônicos que estão na gaveta.
É preciso fazer a destinação adequada de celulares e de eletrônicos, já que seus componentes podem conter metais pesados e outros contaminantes.

7. Crie uma horta em casa
Procure um canto ensolarado na sua casa para cultivar algumas plantas que sirvam de tempero como salsinha, cebolinha, hortelã e manjericão.

Independente do que você faça, é de extrema importância agir hoje para proteger os ecossistemas terrestres e aquáticos, combater o aquecimento global e incluir medidas de biossegurança e de segurança ambiental. Garantir que o conhecimento e o compromisso com o consumo e a produção responsáveis se estendam por todos os pilares das sociedades é um elemento fundamental.

Fontes: ONU Brasil
IMDB
Guia da Semana
ecycle.com.br
UNESP – Centro de Pesquisa